LAPIDANDO DIAMANTES

I SEMINÁRIO DE PAIS E EDUCADORES
DO COLÉGIO "PORTAL DO SABER"


22 de outubro

08:00 - Palestra de abertura
Jardineiros da vida é o que somos
Silvana Eunice Levandovski Fumian

09:00 às 12:00 - Oficinas
Com certificado

Contato
contato@portaldosaber.com
(32) 3746 2055

Local do evento
Rua Américo Vespúcio de Carvalho, 255
Centro - Espera Feliz

Escolha sua oficina

Oficineiro: Danúbia Amaral Sampaio

"A esperança como concepção de futuro": A constante busca pela felicidade

Danúbia Amaral Sampaio

Graduada em Geografia. Especialista em História do Brasil e Metodologias do Ensino de Geografia. Educadora do Colégio Portal do Saber.

A felicidade é um desejo comum a todos os seres humanos, em todos os momentos da história. Cada geração concebe os seus meios de alcançar a felicidade de acordo sua visão de mundo.

De que forma vemos o mundo? Como ele se apresenta aos nossos olhos?
Pra responder a pergunta é necessário uma reflexão a respeito de nós mesmos, de “onde” estamos e o que queremos. A atualidade é marcada pelo aumento do consumo e obsolescência programada dos produtos o que incentiva a substituição do ultrapassado pelo “novo” diante disso, estamos constantemente insatisfeitos, inseguros e condicionados ao consumismo com a finalidade de suprir nossos desejos onde os objetos tornam-se possibilidades de alcançarmos a tão almejada felicidade. Diante dessa perspectiva de mundo nos encontramos a cada dia mais sobrecarregados e insatisfeitos, cabe a nós tecer as estratégias de mudanças que desejamos e pra isso é necessário encarrar o mundo real, o hoje.

VAGAS ESGOTADAS

Oficineiro: Miriã Moraes Gripp

Autismo: Uma visão subjetiva do espectro

Miriã Moraes Gripp

Graduada em Letras e História. Educadora do Colégio Portal do Saber.

Tenho conhecido o autismo de uma ângulo privilegiado. Sou mãe de um garotinho de três anos esperto, saudável e autista. Desde os primeiros sintomas tenho me dedicado a estudar o Transtorno do Espectro Autista e aberto o coração para compreender como a mente do meu filho funciona, o que ele quer dizer, mesmo sem usar palavras. Ter um filho especial pode ser uma carga muito pesada, mas definitivamente há beleza, crescimento e muito amor.

  • Meu bebê é diferente: os primeiros sinais do autismo.
  • O difícil caminho até o diagnóstico.
  • A importância do diagnóstico precoce.
  • Meu filho é autista, e agora?
  • Autismo é um espectro, não existem dois autistas iguais.
  • O autista, a família e a escola.

“As crianças especiais, assim como as aves, são diferentes em seus vôos. Todas, no entanto, são iguais em seu direito de voar.” - Jesica Del Carmen Perez

VAGAS ESGOTADAS

Oficineiro: Hugo Couto Mendes & Nubiana Gomes de Oliveira

Educação e atividade física: em busca da qualidade de vida

Hugo Couto Mendes & Nubiana Gomes de Oliveira

Hugo Couto Mendes: Graduado em Educação Física Vice-diretor da Escola Estadual Altivo Leopoldino de Souza. Educador do Colégio Portal do Saber.

Nubiana Gomes de Oliveira: Graduada em Ciências Biológicas Especialista em Gestão Ambiental Educadora do Colégio Portal do Saber.

A falta de atividade física pode prejudicar sua saúde?

“Evidências mostram que pessoas que não praticam atividades físicas definitivamente não estão ajudando sua saúde e provavelmente a estão prejudicando. Quanto mais examinamos os riscos para a saúde associados à falta de atividade física, mais convencidos ficamos que pessoas que não praticam atividade física devem começar a se exercitar”. (http://www.copacabanarunners.net/beneficios-atividade-fisica.html)

Convidamos você para participar desse bate papo descontraído, onde o enfoque principal será a qualidade de vida. Venha com traje confortável e se prepare para essa experiência super agradável.

Professores Hugo e Núbia.

VAGAS ESGOTADAS

Oficineiro: Jacqueline de Almeida Cabral

Espiritualidade: em busca do eu

Jacqueline de Almeida Cabral

Graduada em História. Especialista em Supervisão Escolar.

O ser humano não possui apenas exterioridade que é sua expressão corporal. Nem só interioridade que é seu universo psíquico interior. Ele vem dotado também de profundidade que é sua dimensão espiritual.

O espírito não é uma parte do ser humano ao lado de outras. É o ser humano inteiro que por sua consciência se percebe pertencendo ao Todo e como porção integrante dele. Pelo espírito temos a capacidade de ir além das meras aparências, do que vemos, escutamos, pensamos e amamos. Podemos apreender o outro lado das coisas, o seu profundo.

Somos, por nossa natureza humana, seres em constante busca de nós mesmos e como nos angustia e consome essa busca, essa procura ávida pelo sentido pleno de nossa existência. Quanta energia consumimos ao buscar em nós mesmos foças para tentar dar conta de tudo que se nos apresenta como compromissos a cumprir. Resultado: frustação, raiva, medo, críticas e autocríticas...

Não nos bastamos!!!

Somos seres espiritualizados e necessitamos estar em conexão com o espírito. Sermos inspirados pelo espírito, estarmos em contato com uma parte dentro de nós que está cheia de luz!!! Espiritualidade, uma busca constante de crescimento interior.

Espiritualidade significa cultivar um lado do ser humano: seu espírito, pela meditação, pela interiorização, pelo encontro consigo mesmo e com Deus.

Muito mais que qualquer pratica religiosa, vivenciaremos a espiritualidade na forma como pensamos e agimos, na maneira como nos colocamos diante do outro e das situações que se apresentam a nós. Exercitaremos o olhar para dentro de nós, sentindo o nosso próprio coração, buscaremos a sintonia com nosso mais profundo Eu, onde se manifesta o espírito.

Em conexão com o espírito vibramos amor e paz e a estadia de todos no planeta se torna mais agradável e cheia de luz!!!

VAGAS ESGOTADAS

Oficineiro: Kenia Afonso Pacheco Fumian

Faces da positividade: um processo de (re)construção pessoal

Kenia Afonso Pacheco Fumian

Graduada em Letras. Pós-graduanda em Lingüística. Educadora do Colégio Portal do Saber.

“Por muito tempo fui tudo que pude, agora sou tudo que quero.” - Viviane Mosé

Os sentimentos refletores da positividade nem sempre são positivos.

Ser positivo pode ser uma escolha... um querer...desde que sejamos capazes de reconhecer na tristeza, no aborrecimento, nas desilusões a completude desse estado.Todo processo é contínuo e perpassa pelo amadurecimento dos sentimentos e pela aceitação de que a felicidade não é um estado permanente do ser.

O mundo do qual fazemos parte cobra de nós uma frequente demonstração de felicidade, mesmo que falsa, que é medida pela quantidade de curtidas, pela exposição de um amor “perfeito”, pela ostentação de um bem adquirido (mesmo que a duras prestações).

Ser positivo independe da felicidade e, muitas vezes está longe de se correlacionar a ela, pois é na vivência dos sentimentos negativos que nos deparamos com a essência e a força positiva impulsionadora da perseverança e/ou mudança.

Convido você para juntos partilharmos sobre a positividade!

VAGAS ESGOTADAS

Oficineiro: Jorge Tadeu Pires da Costa Junior & Vinícius de Oliveira Melo

Música: A possibilidade de construir e desconstruir novos paradigmas

Jorge Tadeu Pires da Costa Junior & Vinícius de Oliveira Melo

Vinícius de Oliveira Melo: Graduado em Letras e Filosofia. Especialista em Ensino da Filosofia. Educador do Colégio Portal Saber.

Jorge Tadeu Pires da Costa Júnior: Graduado em Letras. Especialista em Música na Educação. Educador do Colégio Portal Saber.

A construção do SER (humano) e do SER (existir) passa pelo irrestrito mundo das melodias. A música, como discurso, tem – em sua atemporalidade – o fascinante poder de expressar o lado subjetivo da vida.

Quem nunca ouviu alguém pronunciar a seguinte pergunta: “música é essencial para viver”? Algumas vezes, quando ouvimos isso, nos soa certo exagero, mas será que seria possível nos dias de hoje levar a vida longe dela? De acordo com alguns dicionários, a música nada mais é do que a arte de combinar sons que soam de forma agradável aos nossos ouvidos, ela é capaz de nos fazer lembrar-se de pessoas e lugares especiais, momentos marcantes e também de nos fazer rir, chorar, dançar sem parar… Com tantas coisas boas, será mesmo que a música não é essencial para vida?

A música faz parte da vida de todo indivíduo e do seu cotidiano. Como dizem os românticos, a música é uma das formas mais belas de expressão do ser humano, além de tocar e encantar os corações com sua melodia acaba trazendo uma história para que as pessoas possam refletir sobre o tema proposto. A partir daí, pode-se perceber o valor inestimável que a música tem na vida de toda pessoa. Em forma de música, e por meio dela, iremos - juntos - construir essa ponte melodiosa de saberes!

VAGAS ESGOTADAS

Oficineiro: Domenique Freitag

Resiliência: O poder de superar as adversidades

Domenique Freitag

Educadora. Enfermeira (FAMINAS) - COREN - 201809-MG. Psicóloga (FAMINAS) - CRP- 04/44988. Graduada em Filosofia (FAFISM). Especialista em Estratégia na Saúde da Família (UNIG). Pós-graduanda em Doenças Psicossomáticas (FacRedentor). Professora efetiva há 24 anos na Rede Municipal de Educação de Muriaé, lecionando para o 3º ano do I Ciclo do Ensino Fundamental. Enfermeira há 10 anos, há 6 atua como Enfermeira RT (Responsável Técnica) na Casa de Caridade São Vicente de Paulo- Hospital de Miraí. Psicóloga no Centro de Psicologia em Muriaé.
  • Conceituando Resiliência. Origem da palavra e como este conceito foi tomado emprestado pela Psicologia.
  • Resiliência como forma de sobreviver às situações negativas que surgem na nossa vida, principalmente nos dias atuais no qual atravessamos, sem perder o foco no propósito maior: os ensinamentos que podemos tirar de tais momentos, de modo a mantermos a saúde física-psíquica e emocional para que não venhamos a adoecer em razão delas.
  • Doenças físicas, reais, evitáveis, por razão à somatização de problemas emocionais. (Breve relato desta abordagem).
  • O tema passa também pela resiliência familiar, com a criação dos filhos e a difícil tarefa de ser pai/mãe.
  • Como educar e preparar este ser humano para ser resiliente?
  • A resiliência pode ser desenvolvida. Ela não necessariamente é inata. Podemos aprender a ser resilientes mesmo em condições adversas.
  • Resiliência: uma perspectiva de saúde emocional promissora a qual concede ao ser humano uma construção de vida saudável, apesar das condições adversas que o cercam.

VAGAS ESGOTADAS

Oficineiro: Gislene Novaes Lucindo

Sexualidade e afetividade: uma reflexão de construção

Gislene Novaes Lucindo

Psicóloga – CRP 04/11268 CRP 16IS/0246. Especialista Em Psicologia Educacional/Escolar (PUC BH), Assistência a usuários de álcool e outras drogas (UEMG BH), Saúde Mental (UFJF). Atua no CRAS – Centro de Referência em Assistência Social – Município de Caiana. Atua em Saúde Pública há mais de 20 anos, atualmente no Município de Dores do Rio Preto-ES.

A sexualidade tem se erigido como tema privilegiado a ser abordado com adolescentes pelos profissionais de saúde e educadores que atuam junto a este público.No entanto, educar para a sexualidade não é tarefa das mais simples, na medida em que não se reduz meramente à transmissão de informações de um sujeito que sabe para ou troque aprende. Sexualidade é algo constituinte do ser humano,e como tal, se apresenta intrinsecamente relacionada ao âmbito privado, mas é também resultado da cultura e das relações sociais estabelecidas por homens e mulheres no decorrer de suas vidas (Carvalho & Pinto, 2002; Kahhale,2001; Rena, 2001).

Dessa forma o envolvimento familiar na discussão da temática torna-se importante para o alinhamento de ações na educação sexual de nossos jovens e, sobretudo na construção de hábitos saudáveis e responsáveis, com autocuidado e cuidado ao outro na busca da construção de vida de um mundo onde se tenha autoconhecimento suficiente para que se respeite a diversidade.

Será ainda hoje a sexualidade um tabu a ser conversado com nossos filhos/alunos? Nesse momento de mundo onde as informações estão muito ágeis e a tecnologia cada vez mais presente no cotidiano familiar como mediar e colocar a Educação familiar (sexual) na pauta dos encontros familiares... A Orientação Sexual está sendo realizada no núcleo familiar ou existem mediadores externos que influenciam o comportamento de nossos jovens?

A oficina proposta vem de encontro a todas essas reflexões.....

Objetivo

Ampliar a reflexão sobre orientação sexual aos jovens no âmbito familiar pluridimensionando e contextualizando com situações de mundo preparando o cuidador /pai/mãe/responsável para um dialogo aberto, claro, responsável e afetuoso empoderando as relações de autocuidado e ao outro.

Conteúdo Programático

  • O papel da família na construção da sexualidade de seus filhos.
  • A sexualidade nos tempos da tecnologia e da agilidade das informações.
  • O que norteia a família na construção da sexualidade.
  • Afetividade versus sexualidade ou afetividade parceira da sexualidade.

VAGAS ESGOTADAS

Oficineiro: Flávio Aparecido de Almeida

Tornando visível o invisível: Um diálogo sobre o TDAH

Flávio Aparecido de Almeida

Psicólogo – CRP 04/44892. Graduado em História, Filosofia, Pedagogia. Psicopedagogo Clínico e Institucional. Neuropsicopedagogo Especialista em Educação Inclusiva, Especial e Políticas de Inclusão. Especialista em Supervisão e Inspeção Escolar, Gestão de Saúde Mental, História do Brasil. Pós-Graduando em Neuropsicologia. Coordenador Pedagógico do Colégio Portal do Saber. Psicólogo da APAE de Espera Feliz/MG.

Discutir o TDAH é tornar visível algo que muitos acreditam ser uma “indisciplina, falta de limites e educação”. Muitas crianças e jovens sofrem com este transtorno e precisam de nossa ajuda para que possam ter qualidade de vida em todos os aspectos da Existência. Convido à você para parar e pensar... Juntos vamos refletir sobre o TDAH e assim, buscarmos estratégias para que nossas crianças e jovens possam se sentir incluídas e compreendidas a partir de uma análise mais profunda do transtorno.
Os seguintes aspectos serão abordados:

  • O que é TDAH.
  • Quais os sintomas.
  • As causas do TDAH.
  • Os Mitos relacionados ao Transtorno.
  • Como o TDAH afeta a família.
  • Estratégias de Intervenção.

VAGAS ESGOTADAS

Oficineiro: Patrícia de Oliveira Guerra Radsack

Uma visão sobre a mulher através da história. O feminino e a mulher: poderosa ou empoderada?

Patrícia de Oliveira Guerra Radsack

Graduada em História. Educadora do Colégio Portal do Saber.

A MULHER NA PRÉ- HISTÓRIA;

A figura feminina na Pré-História tinha um enorme peso nas sociedades de todo o mundo. Não eram sociedades matriarcais, e sim matricêntricas, pois a mulher não dominava, mas as sociedades eram centradas nela por causa da fertilidade. Assim, pela sua inexplicável habilidade de procriar, as mulheres eram elevadas à categoria de divindades. Os vestígios paleolíticos revelam que o feminino ocupava um lugar primordial, pois deste período foram encontradas estatuetas femininas, pinturas e objetos, que cultuavam a mulher como um ser sagrado.

A MULHER MODERNA NO BRASIL

O papel da mulher no Brasil colônia era especialmente restrito ao ambiente familiar e doméstico, pois o sistema patriarcal desenvolvido na colônia portuguesa na América restringia-lhes "ao bom desempenho do governo doméstico e na assistência moral à família, fortalecendo seus laços". A repressão à mulher consolidava-se com a subserviência com a qual tinham que tratar os homens, sob a alegação que eles lhe provinham o sustento. Durante o Império, a legislação estendeu o direito ao ensino primário às mulheres, mas na prática ela continuava excluída. A mulher no período Colonial praticamente permaneceu nas mesmas condições que se encontravam no período anterior, sofrendo pouca evolução.

Objetivo geral:

Temos como principal objetivo, apresentar para a comunidade, corpo docente e discente, uma perspectiva da mulher do ponto de vista histórico. Mostrando o desenvolvimento e a luta da mulher na sociedade brasileira, em prol da igualdade entre homens e mulher na esfera social, política e econômica.

Objetivos específicos:

  • Apresentar o papel da mulher, através das conjunturas históricas. Da Idade Antiga à Idade Contemporânea.
  • Apresentar o conceito de gênero na atualidade.
  • Analisar e iniciar um debate sobre a importância do desenvolvimento e empoderamento da mulher.

VAGAS ESGOTADAS

Empresas e instituições que apoiam essa ideia

ACESSE COMUNICAÇÕES
CENTRÃO MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO
CONSTRULAR MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO
CONTEXTO ASSESSORIA DE ESTUDOS
DROGARIA BIO FARMA
DROGARIA CARLOS
EPACE INFORMÁTICA
INOVE COMUNICAÇÃO VISUAL
KKEY DESENVOLVIMENTO DE SISTEMAS
PARAÍSO MATERIAIS DE CONSTRUÇÃO E TINTAS
SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO DE ESPERA FELIZ
TPJ CAFÉ
WW MÓVEIS E ESQUADRIAS